Tarja Branca

Escrever um Blog!
Essa foi uma das primeiras coisas que fiz descobrindo o maravilhoso mundo da internet há uns bons 15 anos e cá estou eu de novo.
Afinal, a vida é ir e vir.
A minha pelo menos, é.
E eu adoro.
Tipo aquele lance do rio do filósofo famoso lá, sabe?

Você não se molha duas vezes no mesmo rio… ou a água é outra ou você é outro.

E é justamente sobre essas mudanças, a nova água da vida que te molha, você querendo ficar molhado ou não, sobre o que meus olhos vêem de novo nas coisas velhas ou de velho nas coisas novas que vou falar aqui.

Vamos passear por palavras, músicas, filmes, livros, empresas e suas pessoas, expectativas, realidades, sonhos, primeiros beijos, velhas conclusões, novas descobertas, decepções e principalmente pelo que temos para aprender com tudo isso. 

Uma espécie de:
“O que eu faço com isso agora?!”
Mas não da piada, da vida!

Aqui, vou fazendo minhas conclusões temporárias sobre a vida. 

Vou por aí, como costumo fazer, procurando aprender e avançar com cada coisa que acontece. Vai que, cai alguma ficha aí e nesse caso você pode aprender com algum erro meu e dessa forma, não precisa errar o mesmo que eu para aprender. E no caso dos acertos, pode ficar com vontade de experimentar. 

E se eu mudar de opinião?
Simples, faço um novo post.

Acho que esse é o maior aprendizado até aqui:
Saber que o que penso agora é um tipo de mala que arrumei até aqui nessa viagem de viver.
Nada me impede de abrir a mala, doar umas coisas que não me servem mais, jogar outras que percebo que estragaram no lixo e colocar coisas novas no lugar.

Sim, essa mala é todinha composta por ítens perecíveis.
Que bom.
Nós somos perecíveis, porque nossos pensamentos ou sentimentos não deveriam ser tratados assim também?

Já que no rio da vida, muitas vezes a água é a mesma, que nós sejamos outros.
Melhores.

Seja bem-vindo ao Tarja Branca!
Lugar de reconectar ao que verdadeiramente importa, de refletir sobre coisas simples e fazer delas importantes, ressurgir das cinzas, vez ou outra, mas principalmente de reconhecer que a vida tem um lado maravilhoso (que precisamos estar com olhos bem abertos para vê-lo) e um outro que nem sempre é fofo com a gente (e que ainda assim dá pra fazer algo de bom e de útil aí dentro com tudo que nos acontece!)

Tarja Branca, a vida sem receita.
Sem certo, sem errado e sem fórmula mágica ou X passos para coisa nenhuma.
Porque o remédio é ser feliz e pra isso é preciso usar tudo que acontece com a gente para crescer!
Com um passo (o seu próprio passo!) de cada vez.
Com a coragem que a vida pede de olhar para aquela pessoa que vemos quando olhamos no espelho com cuidado, honestidade e muita paciência.

E lá vamos nós…