Keep Calm: “Muito ajuda quem não atrapalha!”

No dicionário: 

Calma – Virtude de controlar suas emoções, sossego, paz interior.

Esse é nosso maior desafio agora.
Cuidar do lado de dentro para sermos os mais úteis possível “lá fora”.

A vida nos impõe um momento onde pouco (quase nada se você não é do seleto grupo de pessoas que pesquisam esse tipo de coisa!) podemos fazer para mudar o que está acontecendo, mais que isso, quanto menos “existirmos” agora, melhor.

Quando eu era criança, ouvia muito minha mãe dizer, enquanto lavava o chão da cozinha e eu queria passar ou pegar algo pra comer:

“Muito ajuda, quem não atrapalha!”

Nunca antes, na (minha) história, um aprendizado deixou tão claro a melhor atitude a tomar!
O melhor a fazer é encontrar um meio de, internamente, ficarmos bem, até que saibamos o que fazer. Enquanto isso , tudo nos convida a nos mantemos o mais “quietos” possível.

Quando digo quietos, obviamente, estou falando de “sossegar o rabo” mesmo, parar de inventar moda, de sair, de encontrar gente que não precisa ser encontrada. 

Mas também digo: Paremos de colocar mais lenha na fogueira do desassossego, da ansiedade, do medo. Eu, pelo menos, vou continuar não falando sobre nada relacionado ao vírus e toda esse situação. Não por ser do grupo do “É só uma gripinha!”. Não sou. Não por estar alienada. Não estou. Porém não trabalho na área médica, não sou jornalista, logo, terei bem pouco, ou nada, à acrescentar. Pior, qualquer (des)informação que eu compartilhe, pode mais atrapalhar do que ajudar, assim como quando era criança e insistia em pegar um Danette de chocolate na geladeira e tomava uma vassourada da dona Bárbara.

Enquanto isso, aproveitemos o lado útil do incrível mundo da internet para nutrirmos nossa mente de coisas boas também e que nos ajudem a manter (ou recuperar) a calma. Falo da nossa própria qualidade de vida interna (já que fora está uma zona!) e daqueles que nos seguem.

Não podemos entrar na cozinha agora, mas ainda temos escolha, definir com qual atitude queremos esperar a limpeza terminar para podemos voltar a circular por lá livremente.

Isso tudo vai passar. 

É assim que a vida funciona. 

Só que no tempo dela, não no nosso.

Desejo que saibamos olhar para tudo isso além da dor e do medo.
Assim virão os aprendizados, pois a única certeza que tenho agora é que eles serão abundantes se estivermos abertos, apesar de tudo, às oportunidades que os momentos difíceis nos trazem.